Relacionamento: Amor e Liberdade_ Osho

Primeiro Seja – Relacionar-se é uma das maiores coisas da vida: é amar,
compartilhar. Para amar é preciso transbordar de amor e para compartilhar é
preciso ter (amor). Quem se relaciona respeita e não possui. A liberdade do
outro não é invadida, ele permanece independente. Possuir é destruir todas
as possibilidades de se relacionar. Relacionar é um processo. Relacionamento
é diferente de relacionar-se: é completo, fixo, morto. Antes devemos nos
relacionar conosco mesmos e escutar o coração para a vida ir além do
intelecto, da lógica, da dialética e das discriminações. É bom evitar
substantivos e enfatizar os verbos. A vida é feita de verbos: amar, cantar,
dançar, relacionar, viver.

O Outro Dentro de Você – Nada machuca mais do que quando um sonho é
esmagado, uma esperança morre, o futuro se torna escuro. A frustração
representa uma parte muito valiosa no crescimento espiritual. A nova
psicologia está baseada nas experiências da escola mais antiga, tantra.
Qualquer um que seja dependente de alguém, odeia essa pessoa
.

Ciúme – Quando há atração sexual e o ciúme entra é porque não há amor. Há
medo, porque o sexo é uma exploração. O medo se torna ciúme. Não se pode
amar alguém não-livre, pois o amor só existe se dado livremente, quando não
é exigido, forçado e tomado. Quanto mais controlamos, mais “matamos” o
outro. As causas do ciúme estão dentro de nós; fora estão só as desculpas. O
amor não pode ser ciumento. Ele é sempre confiante. Confiança não pode ser
forçada. Se ela existir, segue-se por ela. Senão, é melhor separar, para
evitar danos e destruição e poder amar outra pessoa. Quando amamos alguém,
confiamos que não quererá outro. Se quiser, não há amor e nada pode ser
feito. Só através do outro tornamo-nos conscientes de nosso próprio ser. Só
num profundo relacionar-se o amor de alguém ressoa e mostra sua
profundidade: assim nos descobrimos. Outra forma de autodescoberta, sem o
outro, é a meditação. Só há dois caminhos para chegar ao divino: meditação e
amor.

Do Sexo ao Samadi – Só temos uma energia que, no mais baixo, é sexual.
Refinada, transforma-se pela alquimia da meditação e torna-se amor ou
oração. O sexo é o fenômeno mais importante da vida. É natural, não exige
preocupação. Repressão é esconder energias impedindo sua manifestação e
transformação. Até hoje nenhuma sociedade encarou o sexo naturalmente. O
sexo revela que somos dependentes. As pessoas egoístas são contra o sexo (?)
Nele sempre há o risco de rejeição. Nele nos tornamos animais, porque
naturais. Quando aceitamos o passado, o futuro se torna uma abertura. O
tantra usa o ato sexual rumo à integridade, se nos movermos nele
meditativamente, sem controle, com loucura, sem tempo, sem ego,
naturalmente. Tantra é um longo caminho do sexo ao samadi. Samadi é o
supremo gol; sexo é só o primeiro passe. Uma pessoa se torna Buda quando o
sexo é transformado em Samadi. É bom mover-se no sexo, mas permanecer
observador. A meditação é a experiência do sexo sem sexo. O sexo é um fim em
si mesmo e no presente. Sem amor o ato sexual é apressado. Sem pressa,
estando no presente, caminha-se para a comunhão, a entrega, a
espiritualidade, o relaxamento, o fluir, a fusão, o êxtase, o Samadi. Não há
necessidade de ejaculação. Quanto mais observamos, mais nossos olhos são
capazes de ver, mais são perceptivos. “O homem e a mulher são dois polos
diferentes, o polo positivo e negativo da energia. Seu encontro provoca um
circuito e produz um tipo de eletricidade. O conhecimento dessa eletricidade
é possível se o período de cópula puder ser mantido por um período mais
longo. Então uma alta carga, produzindo uma auréola de eletricidade evoluirá
por si mesma. Se as correntes dos corpos estiverem num abraço total e
completo, pode-se até mesmo ver um lampejo de luz na escuridão.”

Relacionamento como um Espelho – O amor se relaciona, mas não é
relacionamento, que é algo acabado. Ele é como um rio fluindo,
interminavelmente. Há flores do amor que só desabrocham após uma longa
intimidade. Relacionar-se significa que estamos sempre começando, sempre
tentando nos tornar conhecidos. A alegria do amor está na exploração da
consciência. Quando investigamos o outro, fazemos o mesmo conosco.
Aprofundando-nos no outro, nos aprofundamos em nós mesmos. Tornamo-nos
espelhos para o outro e o amor torna-se meditação. Quando mais descobrimos,
mais misterioso o outro se torna: o amor é uma aventura constante. Quando
estamos apaixonados, a linguagem não é necessária. O amor não escraviza, não
é possesivo nem exigente. Ele liberta, permitindo aos amantes voarem alto,
em direção a Deus. Quando apreciamos nossa solidão, nos tornamos
meditadores. Só quem é capaz de ser feliz sozinho pode contribuir com a
felicidade de outro.

Amor Verdadeiro – Quando há dependência não há maturidade nem amor, há
necessidade. Usa-se o outro, o que é desamoroso. Ninguém gosta de ser
dependente, porque a dependência mata a liberdade. Os homens sempre querem
mulheres que sejam “menos” do que eles. A maturidade vem com o amor e acaba
com a necessidade. Amor é luxo, abundância. É ter tantas canções no coração,
que é preciso cantá-las, não importando se há quem ouça. Quando somos
autênticos, temos a aura do amor. Quando não, pedimos amor aos outros. Quem
se apaixona não tem amor e, assim, não pode dar. Quem é maduro não cai de
amor, mas se eleva nele. Duas pessoas maduras que se amam, ajudam-se a se
tornarem mais livres. Liberdade, moksha, é um valor mais elevado que o amor.
Por isso é que o amor não vale a pena se a destruir.

Solidão e Solitude – Na solitude estamos constantemente encantados conosco
mesmos. Ela é abençoada, um profundo preenchimento, que nos mantém centrados
e enraizados. Ela é independente. Todos são um fim em si mesmos. Ninguém
existe para ser usado. Quem está no pico da solitude só se atrai por quem
também esteja só. Dois solitários olham um para o outro, mas dois que
conheceram a solitude olham para algo mais elevado. Se estão felizes consigo
mesmos, tornam-se companheiros. As palavras felicidade e acontecimento têm a
mesma raiz em inglês. Porque a felicidade simplesmente acontece. Para ser
feliz é preciso deixar acontecer. O caminho do amor deve ser tomado com
tremenda consciência e o da consciência, com tremendo amor. Depois de cada
experiência profunda nos sentimos sós e tristes: seja um grande amor ou uma
meditação. Por isso muitos evitam experiências profundas. A solitude é bela
e livre. É um momento em qu
e o outro não é necessário. Após essa liberdade o
amor é possível. O amor traz solitude e a solitude traz amor. Já a solidão
não cria amor; apenas necessidade. Ela pode matar. Dois solitários não
conseguem se relacionar porque isso não ocorre a partir da necessidade.
Solitude é uma flor desabrochando, é positiva, saudável. Só o amor dá a
coragem de sermos sós. Só assim acumulamos energia até transbordar e
transformar-se em amor. Sós, acumulamos amor, celebração, dança, energia,
prazer, vida. Só o excesso de energia possibilita o orgasmo, que não é um
alívio, mas celebração. Quando os amantes se afastam, readquirem sua
solitude, beleza e alegria. A alegria traz a necessidade de compartilhar. A
paixão é muito pequena diante da compaixão. Solitude é mover-se para dentro
e amor é mover-se para fora. Ambos os movimentos são enriquecedores.
Terminando um relacionamento – Onde houver consciência, há revolta contra a
repetição mecânica. Totalidade é a base da liberdade. Simpatia não é amor.
Não se resolve problemas dentro da mente, pois ela é o problema, que não se
resolve com respostas, por não ser um problema intelectual, mas existencial.
Em vez de pensar é melhor entrar no silêncio, que é a porta a caminho da
divindade. Relacionamento não é amor e amor não é relacionamento. Este é
pronto e fechado e o amor é fluir. Relacionamento é estrutura; amor é
não-estruturado. Amor é um processo, um estado de ser. As pessoas amorosas
não precisam de relacionamentos. O relacionamento torna-se necessário quando
o amor está ausente, ele o substitui. É preciso muita coragem para
permanecer aberto, sem criar um relacionamento. O amor acontece, nós não o
fazemos acontecer: só podemos nos tornar disponíveis. O amor vem do nada,
como um solavanco e só é possível entre iguais. Se escolhemos alguém que tem
medo de aprofundar é porque nós também temos. Quando o amor se aprofunda,
aumenta a liberdade. Elevar-se no amor é um aprendizado, uma mudança, uma
maturidade. É algo espiritual. Quem é sábio não impõe sua idéia a ninguém. A
vida é incerta, a insegurança é seu próprio espírito. Só a morte é certa.
Nunca devemos perguntar sobre problemas dos outros.

Casamento – Ninguém nasce para o outro. Amor e liberdade andam juntos. Ela é
uma expressão do amor. “Dar” liberdade é confiar. O crescimento precisa de
liberdade. De todas as artes, o amor é a mais sutil e precisa ser aprendida.
Amor é felicidade, harmonia, saúde. Um grande amante está sempre pronto a
dar amor e não está preocupado se vai receber de volta ou não. O amor tem
sua própria felicidade intrínseca. Quanto mais amamos, maior a possibilidade
da pessoa certa acontecer, porque o coração floresce. O amor real nos deixa
felizes e harmônicos pela simples presença do outro. Amor é eternidade. Se
estiver presente, cresce. Ele conhece o início, mas não o fim. Duas pessoas
infelizes que se unem multiplicam sua infelicidade.

Amizade e Ser Amigo – Love vem do sânscrito lohba, avareza. A amizade
pertence ao templo e não à loja. Devemos ser amigáveis com todos: pessoas,
animais, plantas e não criar amizades, necessariamente. Amizade é amor sem
caráter biológico. As pessoas iluminadas têm mais inimigos do que as
não-iluminadas, pois os cegos não perdoam quem enxerga e os ignorantes não
perdoam quem sabe. Ser amigável, amoroso, autêntico, inocente sem causa é
suficiente para disparar muitos egos contra si.

Meditação e Amor – Quem quiser harmonia no amor precisa aprender a ser mais
meditativo. O amor sozinho é cego, quem enxerga é a meditação. É bom
substituir brigas por entendimento. Os conflitos existem por falta de
compreensão. As palavras medicina e meditação têm a mesma raiz. A medicina
cura o corpo, a matéria e a meditação cura a alma, o espírito. O amor é uma
meditação e ela desabrocha no amor. Meditação é um estado de bênção,
não-pensamento, serenidade e silêncio. É autodescoberta e a necessidade de
compartilhar: o amor. Meditação é um estado de não-mente, de pura
consciência. É preciso aprender o truque de não nos envolvermos com a mente,
a arte de permanecermos indiferentes. Maturidade é conhecer algo em nós que
é imortal: a meditação, que conhece Deus. A mente conhece o mundo, fica
obcecada pelas nuvens, que vão e vêm. A meditação busca o céu, que é
permanente. Devemos buscar o céu interior. A meditação pode se tornar
eternidade, é relaxamento em si, é um estado de não-vontade, de não-ação, de
espontaneidade indisciplinada, sem direção, controle ou manipulação. Ela não
tem meta, está no presente, é imediatismo. Quem medita torna-se silencioso,
tranquilo, pois a meditação traz paz. É a árvore que cresce sem semente,
pois é mágica, misteriosa. Quem abandona o passado é meditativo. Na
meditação vive-se o momento, nada interfere e a atenção é total, porque não
há distração; só consciência. Quem medita encontra o amor, pois a meditação
nos torna amorosos e o amor nos torna meditativos.

Amor e Compromisso – Quando amamos alguém não admitimos que o amor possa
acabar e, se ele existe, não há necessidade de arranjo legal. O casamento é
necessário porque não há amor. Amor é a fragrância de um coração meditativo,
silencioso e tranquilo; luxúria é paixão cega. Não há como melhorar o amor.
Se é ele, é perfeito. Se não for perfeito, não é amor. Quem quer conhecer o
amor, deve meditar. Só os místicos o conhecem. Ele é um dos muitos atributos
de Deus, que também é compaixão, perdão, sabedoria etc. Quem está centrado,
é meditativo. O amor é uma alegria transbordante, um estado do ser. O medo é
o oposto do amor. O ódio é o amor invertido. No amor nos abrimos, confiamos,
expandimos. No medo nos fechamos, duvidamos, encolhemos.
Ame a Si Mesmo – Para amar é preciso conhecer. Daí que a meditação é
primária e o amor, secundário. Como o Sol irradia luz sem foco, a meditação
irradia amor sem foco. Amar a si próprio é meditação, é ser autêntico,
aceitar-se com é. Isso é oração, é gratidão. O amor começa com o amor
próprio, com a aceitação de si, de tudo e de todos. A aceitação cria o
ambiente onde o amor desabrocha. Também a confiança começa na autoconfiança,
que é independência. Quem é independente, aprende, amadurece e se transforma
com as mudanças. O amor é o fenômeno mais mutante da vida: é como uma flor
que se abre a cada manhã. Só os independentes podem amar e ser amados.
Diante de um problema o que mais importa é saber exatamente qual é problema
e não sua solução.

Uma Nova Dimensão de Amor – O amor é mais verdadeiro e autêntico do que nós.
Todo caso de amor é um novo nascimento. O ego é como a escuridão, mas quando
chega a luz do amor, a escuridão se vai. As escolhas devem ser pelo real,
pior e doloroso e não pelo confortável, conveniente e burguês. O amor nos
tira do ego, do passado e do padrão e por isso parece confusão. Ficar louco
de vez em quando é necessidade básica para permanecer são. Quando a loucura
é consciente, pode-se voltar. Todos os místicos são loucos. O amor é
alquimia porque primeiro tira o ego e depois dá o centro. Amar é difícil,
mas receber amor é quase impossível, porque a transformação é maior e o ego
desaparece. É o anseio pelo divino que impede que qualquer relacionamento
satisfaça. As pessoas mais criativas são as mais insatisfeitas porque sabem
que muito mais é possível e não está acontecendo.

Amor 1: é orientado a um objeto.

Amor 2: ele transborda, não é orientado por um objeto. É uma amizade
que enriquece a alma.

Amor 3: sujeito e objeto desaparecem: a pessoa é amor.
Anúncios

Sáude

Maconha: Consumo de cannabis pode aumentar o risco de ataque psicótico

Plantão Publicada em 26/10/2007 às 11h28mO Globo

O consumo prolongado de cannabis, planta da qual se produz a maconha, pode triplicar o risco de sofrer ataques psicóticos, principalmente em pessoas que consomem seu princípio ativo desde a juventude, segundo os autores do livro “Aspectos psiquiátricos do consumo de cannabis” . O tema foi discutido num simpósio organizado pela Agência Antidroga de Madri. A substância também aumenta o risco de depressão, ansiedade e apatia. Além da dose consumida e da idade, esses distúrbios mentais associado à cannabis dependem da predisposição genética.

Dores na coluna

Dor na coluna é quase inevitável, diz médico




Problema nas costas é o principal motivo de afastamento do trabalho. Alguns exercícios ajudam a evitar o desenvolvimento da doença.
Renata Granchi Do G1,

A ginástica laboral é uma forma de prevenir problemas na coluna (Foto: Fabíola Gerbase/G1)l

Se você ainda não sentiu dores nas costas, não perde por esperar. Quem garante é o neurocirurgião Eduardo Barreto, membro-titular da Sociedade Brasileira da Coluna Vertebral e do Estudo da Dor e um dos organizadores do Simpósio Internacional da Coluna, que se realiza neste sábado (25), no Hotel Windsor, na Barra, Zona Oeste do Rio.
Barreto chama a atenção para o aumento, em todo o mundo, do problema entre os trabalhadores economicamente ativos e diz que esse é o principal motivo de afastamento do trabalho entre pessoas de 20 a 50 anos.
“Dados de 2007 indicam que cerca de 14% da população dos Estados Unidos já se submeteu a algum tipo de cirurgia na coluna”, acrescenta o médico. No Brasil, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) informa que a coluna só perde para as doenças psiquiátricas, que estão em segundo lugar, e, em primeiro lugar, para as doenças ocupacionais (1º) relacionadas ao trabalho (Dort) e lesões por esforço repetitivo (Ler). O INSS percebe, no entanto, o aumento no número de queixosos com dores nas costas.

Como evitar o problema

“Eu sugiro uma mudança de postura. Por aí vamos resolver o problema. Quatro em cinco adultos, em algum momento, vão ter um episódio de dor na coluna. Não adianta tratar com a ciência mais moderna se a postura não mudar. É o caso do sujeito que fuma e passa por uma cirurgia cardíaca e continua fumando. As artérias vão estar sempre entupidas”, avisa o neurocirurgião, que considera o sedentarismo o maior vilão das dores nas costas, seguido do tabagismo e das formas erradas de se trabalhar, como esparramar quase deitado na cadeira.
Para prevenir e minimizar o problema, os especialistas indicam tratamentos com acupuntura, fisioterapia, RPG (reeducação postural global) e alongamento. Atividades dentro d’água também são aconselhadas, como natação, hidroginástica e hidroterapia. Devem ser evitadas as atividades que dão impacto na coluna, entre eles, andar a cavalo e correr. Utilizada em muitas empresas para prevenir as dores na coluna, a ginástica laboral – um conjunto de exercícios variados de alongamento, fortalecimento e relaxamento muscular – é considerada eficaz quando o assunto é prevenção. São exercícios leves, realizados próximo ao posto de trabalho. Na ausência de um professor de ginástica laboral, a cada duas horas trabalhadas é indicada a pausa compensatória de aproximadamente dez minutos com exercícios que podem ser feitos sem sair da cadeira. “O grande vilão da coluna é a postura estática. É importante sempre mudar de posição, variar a distribuição do peso corporal, para evitar sobrecargas na mesma musculatura”, explica a instrutora de ginástica laboral e fisioterapeuta, Patrícia Pinto, que constata uma redução de casos nas empresas que aderem à prática da ginástica.

Como tratar

O especialista recomenda que a primeira preocupação é a escolha do profissional a quem será confiada a sua coluna. “É importante tomar cuidado com os resultados mágicos de qualquer tratamento de coluna. Não ter barriga não significa que você tenha musculatura saudável. Os exames necessários serão feitos a partir das hipóteses de diagnósticos. O tratamento medicamentoso vai ser conduzido com fisioterapia e até um tratamento cirúrgico, se a pessoa tiver uma coisa mais grave. O tratamento cirúrgico é mais restrito do que o clínico. Só entra nisso quando tem falência no tratamento clínico conservador ou quando tem uma lesão neurológica em desenvolvimento”, explica Barreto.
Segundo o médico, uma técnica simples pode melhorar os sintomas. Quem está com um processo agudo de dor, pode usar gelo envolvido na toalha e pôr sobre o local – isto vai reduzir a inflamação.
Outro método que resulta em alívio é deixar a água quente do chuveiro bater nas costas. O calor local da água vai proporcionar um efeito relaxante, já que dilata os vasos sanguíneos do músculo, bloqueando a entrada da dor.
Novas técnicas
Neurocirurgiões do mundo estão reunidos neste fim de semana no Rio para discutir o futuro da cirurgia da coluna e os métodos de prevenção contra o desenvolvimento da doença num simpósio internacional sobre o tema.
Um dos objetivos é apresentar as novidades no assunto, como a biotecnologia que reconstrói e regenera as células da coluna do paciente. Outra questão em discussão é o futuro da cirurgia da coluna. “Existe uma pressão para que se tenha mais cirurgias e mais medicamentos. A prevenção é um fator relegado pelas indústrias farmacêuticas e de material cirúrgico. Iremos discutir as reais necessidades da cirurgia e os novos métodos que agridem menos os pacientes”, diz Eduardo Barreto, um dos organizadores do simpósio.

Para acompanhar as posições para evitar as dores, consulte o site :

http://g1.globo.com:80/Noticias/0,,GF48689-5606,00.html

Piada

Um dia quiseram ver quem era o melhor: Magayver, Jack Bauer, ou Cap. Nascimento.

Chegaram pro Magayver e falaram:A gente soltou um coelho nessa floresta. Encontre mais rápido que os outros e você será considerado o melhor!Magayver pegou uma moeda de 5 centavos no chão, um graveto e uma pedra e entrou na floresta. Demorou 2 dias pra construir um detector de coelhos em floresta e voltou no 3o dia com o coelho.

Dai chegaram pro Jack Bauer e falaram a mesma coisa. Ele entrou correndo na floresta e 24 horas depois apareceu com o coelho. Pediu desculpas porque teve q desarmar 5 bombas nucleares, recuperar 15 armas químicas, escapar de um navio cargueiro que ia pra china e matar 100 terroristas pra chegar ate o coelho.

Dai pediram para o Cap. Nascimento ir buscar o coelho. Se ele demorasse menos de 24 horas ele seria o melhor. No que ele respondeu: – Ta de sacanagem comigo 05? Ce ta de sacanagem comigo ? Você acha que eu tenho um dia inteiro pra perder com essa porra de brincadeira 05 ? Tu eh mo-le-que! MO-LE-QUE 05!!! virou-se calmamente para a floresta e gritou: – Pede pra sair!!! Pede pra sair cambada!!!Em menos de 5 segundos já tinha saído da floresta: 300 coelhos, 20 jaguatiricas, 50 jacarés, 1000 tatus e cotias, o Shrek e o monstro fumaça do Lost.Dai ele gritou: – 02, tem gente com medinho de sair da floresta, 02!- 07, traz a 12!Nisso o Bin laden saiu da floresta correndo!!!

Declaração Universal dos Direitos Humanos

CONSIDERANDO que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da familia humana e seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo, CONSIDERANDO que o desprezo e o desrespeito pelos direitos do homem resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade, e que o advento de um mundo em que os homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade,CONSIDERANDO ser essencial que os direitos do homem sejam protegidos pelo império da lei, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão, CONSIDERANDO ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, CONSIDERANDO que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos do homem e da mulher, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla, CONSIDERANDO que os Estados Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades fundamentais do homem e a observância desses direitos e liberdades, CONSIDERANDO que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso.

A Assembléia Geral das Nações Unidas proclama a presente “Declaração Universal dos Direitos do Homem” como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Estados Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

Artigo 1Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade

Artigo 2
I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

Artigo 3 Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 4Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas.

Artigo 5Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Artigo 6Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

Artigo 7Todos são iguais perante a lei e tem direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos tem direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

Artigo 8Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

Artigo 9Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

Artigo 10Todo o homem tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

Artigo 11
I) Todo o homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias a sua defesa.II) Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituiam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

Artigo 12
Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação. Todo o homem tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

Artigo 13
I) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
II) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.

Artigo 14
I) Todo o homem, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
II) Este direito não pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 15
I) Todo homem tem direito a uma nacionalidade.II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

Artigo 16
I) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, tem o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
II) O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
III) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.

Artigo 17
I) Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

Artigo 18
Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observâcia, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.

Artigo 19
Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios, independentemente de fronteiras.

Artigo 20
I) Todo o homem tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas.II) Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

Artigo 21
I) Todo o homem tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.
II) Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
III) A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

Artigo 22
Todo o homem, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à realização, pelo esforço nacional, pela
cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indipensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento de sua personalidade.

Artigo 23
I) Todo o homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.

II) Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
III) Todo o homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como a sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social
.IV) Todo o homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.

Artigo 24
Todo o homem tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

Artigo 25
I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bestar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à seguranca em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Artigo
26I) Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnicrofissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
II) A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
III) Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

Artigo 27
I) Todo o homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios.II) Todo o homem tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica, literária ou artística da qual seja autor.

Artigo 28
Todo o homem tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

Artigo 29
I) Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.II) No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.III) Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 30Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidos.

« Older entries Newer entries »