Duas leituras de um coração

Paulatinamente me fere a pele

incisivamente até a hipoderme,

cutuca os pontos que me ferve

insana coagulação que me entristece,

pura ficção que não desaparece,

de loucura o corpo fica em febre,

a razão logo se envaidece,

e a paixão tíbia se despede,

a insanidade se enobrece,

a vaidade por si prevalece,

brindando com a infelicidade,

que nada pede e que pouco oferece,

por culpa de um coração que não cede!

 

 

Anúncios